utopia da memória

foto: Fernando Solidade

foto: Fernando Solidade

foto: Fernando Solidade

foto: Fernando Solidade

1/15

Experiência teatral Utopia da Memória

ano de estreia - 2019

 

 

SINOPSE

 

Utopia da Memória poderia ser um caderno de anotações, fragmentos de memória de quem pisa a terra e não representa apenas uma pessoa. Em nossa caminhada encontramos muita gente! Muitos ocupam terra, outras disputam ideias e imaginários... tem gente que constrói a soberania popular na mineração...tem gente, muita gente em becos e vielas, em beiras de estrada, muita gente que luta contra a invasão de nossos direitos. Em comunhão preparamos o terreno, acendemos fogueiras e refletores para celebrar a vida e morte da memória de luta do passado que virá.


–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

Duração: 120 minutos

Indicado para maiores de 12 anos
–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

 

SOBRE A MONTAGEM

A experiência teatral Utopia da Memória, realizada com o apoio do 32O. Edital de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, foi criada para ser apresentado em espaços não convencionais (sala multiuso, galpão, quadra, etc) podendo ser coberto ou não.

 

As primeiras apresentações do trabalho foram de 16 a 24 de fevereiro no Engenho Teatral, na zona leste de São Paulo. Em abril e maio Utopia da Memória realizou temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade, no Bom Retiro. No ano de 2019 a peça também foi apresentada em escolas estaduais da cidade de São Paulo, assentamentos, universidades e na Escola Nacional Florestan Fernandes em Guararema-SP.

 

O processo de pesquisa teve  05 anos de duração, a experiência teatral cria correspondências e relações históricas a partir do percurso de trabalho da Estudo de Cena em parceria com Movimentos Sociais, coletivos de cultura, núcleos universitários e organizações comunitárias. Incide de maneira determinante em Utopia da Memória a atuação do grupo em Eldorado dos Carajás - PA junto com o MST - Movimento dos Trabalhadores Sem Terra; a circulação pela região de Canudos - BA e as relações estabelecidas com pesquisadores, moradoras da região e com o Movimento Popular e Histórico de Canudos; a parceria com o MAM - Movimento Pela Soberania Popular na Mineração com a atuação em cidades mineiras que tem sua população atingida pelo avanço da mineração; e o trabalho realizado nas ocupações urbanas junto ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. Neste percurso de pesquisa foram realizadas duas peças de teatro, duas intervenções de rua, 05 experimentos cênicos e seguidas atividades artístico-pedagógicas para estudantes e militantes de todo o Brasil.

 

Em março de 2018 o MASP - Museu de Arte de São Paulo, convidou a Estudo de Cena para apresentar publicamente o processo da nova pesquisa, foi a primeira abertura pública do trabalho, ainda em uma versão teste.

 

 

O formato atual de Utopia da Memória é uma experiência cênica onde público e elenco ocupam o mesmo espaço, a peça narra histórias das pessoas e dos locais por onde o grupo esteve, usando recursos ficcionais e documentais. Ao final o cenário se transforma em uma exposição de fotos e a narrativa segue a partir do olhar das pessoas presentes. Em uma cabine é possível enviar recados para o futuro, os recados são guardados em uma cápsula do tempo e enterrados posteriormente em espaços da memória cultural da cidade de São Paulo e do Brasil, através do cortejo Rastro Vermelho.        

 

 

FICHA TÉCNICA

criação e produção: Estudo de Cena | direção e texto final: Diogo Noventa | direção musical: Roberto Kroupa | direção de transição de cena e coreografia: Juliana Liegel | atrizes e atores criadores: Carolina Maluf, Cau Peracio, Juliana Liegel, Marilza Batista, Roberto Kroupa | direção de arte: Estudo de Cena | cenário e figurino: Estudo de Cena e Lívia Loureiro | fotos: Fernando Solidade | criação de luz: Melissa Guimarães | operação de luz: Diego F Soares |  assessoria de imprensa: Luciana Gandelini | produção executiva: Diogo Noventa